Posts Tagged ‘campanhas

06
jan
08

Feliz 2008 – Segundo os cartões do Mude o Mundo

O Mude o Mundo é um dos melhores blogs do movimento ambiental. Repleto de notícias e dicas sobre a preservação do planeta, ele segue tentando despertar uma consciência que esteja mais próxima da tarefa de conciliar a humanidade com a natureza.
Abaixo um dos seus cartões de Feliz 2008. Vale a pena ver e ler todos os outros.

Feliz 2008 - Mude o Mundo
25
dez
07

Feliz Natal! Segundo o XMas Resitance

Natal Resistência
27
set
07

PEIDEI mas não fui eu, por Lobão

Em oposição ao falido CANSEI, organizado pela direita brasileira, o cantor-compositor-agitador Lobão lançou o movimento PEIDEI. Depois de ser visto inúmeras vezes com a camiseta com os dizeres “PEIDEI mas não fui eu“, Lobão lançou sua campanha na última quarta-feira (também conhecido como ontem) durante uma entrevista no programa do Jô Soares. Mesmo sem assistir ao programa, adianto que a entrevista foi muito boa. Polêmico e desbocado, Lobão continua com a mesma atitude rock n’roll que faz com que muitos acreditem que ele devia mesmo é lançar um CD só com entrevistas.
A camiseta já causou polêmica no Senado Federal, quando um diretor da TV Senado pediu para Lobão trocar de camisa antes de um debate que seria trasmitido ao vivo, sob a alegação de que aquelas palavras não cairiam bem em uma transmissão em cadeia nacional. Sua resposta foi “só se vocês trocarem o presidente do Senado“.
No programa do Jô, Lobão deixou claro suas intenções em criar um movimento nacional, quem sabe um partido, pela moralização e pela ética na política brasileira. Denunciando que muita gente em Brasília esta com a mão amarela dentre estes o presidente Lula.
A campanha é uma dura crítica a esquerda brasileira que perdeu a autonomia crítica diante do governo petista, fazendo vista grossa aos desmandos do governo Lula e pensando que o mundo se dividiu entre “golpistas” e “adesistas“.
A trilha sonora da campanha é uma paródia da música “Que será que será” de Chico Buarque, lulista de carteirinha, cuja unanimidade na esquerda é maior que a de Che Guevara.

QUEM SERÁ QUE PEIDA

Ó, quem será que peidar
que tire o cu da reta e não demore
com a mão amarela, se inocente
que sem prova concreta não dá pra pegar
e todos os trambiques irão te salvar
com todos os auxílios da presidência
e todo benefício da leniência
de todos os decretos que te aliviam
pois quem não tem vergonha quando chafurda
não entende o desespero de coisa alguma
pois quem não tem decoro, nem nunca terá
porque não dá castigo.

Ó quem será que peidar
que apague a luz dos aeroportos
pra debaixo do tapete todos os mortos
e vem gente me pedindo: relaxa e goza
colhendo os impostos para a mesada
na eterna incompetência do governante
impondo com orgulho a falcatrua
a dança do larápio que ganha a rua
enquanto que a gente a se perguntar
aonde é que a gente então vai parar
e se não tem remédio, pra que implorar
a quem não dá ouvido

Ó quem será que peidar
desfaça o flagrante dos mensaleiros
e faça um desagravo pros brasileiros
é só um feriado que a gente esquece
se benza duas vezes com a mão na massa
com a cara de enlevo ninguém vai notar
triplique o dinheiro pra olimpíada
com a cara de tacho que te consagra
no próximo vexame ninguém vai lembrar
não há merecimento nem nunca haverá
por que ninguém exige nem exigirá
tua cabeça a prêmio.

21
set
07

Coisas para se fazer no Dia Mundial Sem Carros

Dia Mundial Sem CarrosAmanhã, dia 22 de setembro, é o Dia Mundial Sem Carros. A data é comemorada desde a década de 70, quando o mundo começou a desconfiar que o estilo de vida centrado e sentado no carro já não dava tão certo assim.
A idéia teve uma grande influência do movimento de vanguarda holândes Provos, que na década de 60, distribuía bicicletas brancas por toda Amsterdã. Junto com as bicicletas um aviso-chamado de que as mesmas não tinham donos e que poderiam ser usadas livremente, desde que depois do uso fossem liberadas para outras pessoas usarem também. Não demorou muito e a própria população começou a pintar suas bicicletas de branco e sair pela cidade pedalando.
Enquanto a policia holandesa ficava correndo de um lado para o outro tentando apreender bicicletas abandonadas, sob a justificativa de que elas eram um “incentivo ao roubo” e um “atentado ao direito a propriedade”, o movimento ambientalista começava a dar os seus primeiros passos.
Na década de 70 com a primeira grande crise do petróleo ficou evidente que os carros bebiam gasolina demais e que a dependência automotiva era tamanha, que deixar o carro em casa pelo menos uma vez por semana era uma idéia insuportável para muita gente. Daí surgiu a data para conscientizar a população contra o uso indiscriminado do carro.
A história demonstrou que com o passar do tempo a idéia não perdeu sua originalidade. Pelo contrário, com o crescimento da preocupação com o meio ambiente, o carro foi eleito como o símbolo de um sistema predatório que não mede esforços em lucrar, mesmo que seja as custas da destruição do planeta.
Daí em diante uma série de movimentos de esquerda começaram a comprar uma briga contra os carros e contra o seu modo de vida egoísta e sujo. Alguns deles inspirados no Dia Mundial Sem Carros como o ótimo Passeio Ciclístico Nudista Mundial.
Com o aquecimento global sendo a grande pauta do dia, a idéia de um dia sem carros, torna-se ainda mais sedutora.
Estima-se que mais de 1600 cidades em todo mundo tenham alguma atividade no dia 22 de setembro. Aqui no Brasil o blog Apocalipse Motorizado tem uma agenda do evento. Além de andar a pé e de bicicleta você pode também:

  • beber sem se preocupar em dirigir;
  • olhar para as bundas das meninas sem ter medo de bater o carro;
  • usar a faixa de pedestres;
  • organizar surubas em estacionamentos;
  • perguntar o nome de um flanelinha;
  • perguntar o nome de uma criança que faz malabarismo no semáforo;
  • dar flores para o cobrador de ônibus;
  • fechar ruas e jogar bola (avenida paulista, BR-101, etc.);
  • ver como andam as coisas no Iraque;
  • respirar;
07
set
07

A Vale é Nossa! – Plebiscito sobre a anulação da privatização da Vale do Rio Doce

A Vale é Nossa! - Plebiscito sobre a anulação da privatização da Vale do Rio Doce

Hoje é o último dia do plebiscito a favor da anulação da privatização da Vale do Rio Doce. Tida como a maior empresa do mundo no seu setor, a Vale foi privatizada em 1997 durante o governo FHC. Na época todo setor de telefonia, boa parte do setor elétrico e algumas rodovias e portos foram privatizados em processos que foram alvo de uma série de denuncias de corrupção motivadas pela falta de lisura e transparência.
O caso da Vale do Rio Doce foi o mais emblemático de todos, arrematada com dinheiro de empréstimo de um banco público (o BNDES), em apenas três meses de operação privada a empresa lucrou mais do que o valor que custou no leilão de privatização.
A consulta popular é puxada pelos mesmos movimentos sociais que em 2000 organizaram o Plebiscito contra o pagamento da Divida Externa e em 2002 o Plebiscito contra a implantação da Alca.
Qualquer um pode participar do plebiscito, seja votando ou instalando uma urna. Basta procurar o comitê do seu estado.




RSS Midia Independente

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Estatística

  • 23,718 acessos